segunda-feira, 30 de maio de 2016

DIA MUNDIAL SEM TÁBACO



O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável no mundo.
Cerca de um terço da população mundial adulta, isto é, cerca de 1 bilhão e 200 milhões de pessoas é tabagista.
Ocorrem cerca de 5 milhões de mortes causadas pelo cigarro todos os anos. Em 20 anos, esse número chegará a 10 milhões se o consumo de cigarros continuar aumentando.
No Brasil, o ato de fumar é responsável por:

     200 mil mortes por ano (23 pessoas por hora).
     25% das mortes causadas por doença coronariana – angina e infarto do miocárdio.
     45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos.
     85% das mortes causadas por bronquite crônica e enfisema pulmonar (doença pulmonar obstrutiva crônica).
     90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos).
     25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral).
     30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia).

A nicotina é considerada pela OMS como droga psicoativa que causa dependência. A dependência da nicotina já representa um problema de saúde públilca.
A nicotina aumenta a liberação de catecolaminas, que contraem os vasos sanguíneos, aceleram a freqüência cardíaca, causando hipertensão arterial.
A fumaça do cigarro tem mais de 4,7 mil substâncias tóxicas. O alcatrão, por exemplo, é composto de mais de 40 compostos cancerígenos. Já o monóxido de carbono (CO) em contato com a hemoglobina do sangue dificulta a oxigenação e, consequentemente, ao privar alguns órgãos do oxigênio causa doenças como a aterosclerose (que obstrui os vasos sanguíneos).
A terceira maior causa de morte evitável do mundo é o tabagismo passivo.
No Brasil estima-se que sete pessoas não fumantes morrem por dia em consequência do fumo passivo. O tabagismo passivo aumenta em 30% o risco para câncer de pulmão e 24% o risco de infarto agudo do miocárdio.
Parar de fumar sempre traz benefícios.
Em 20 minutos a frequência cardiaca e a pressão arterial se normalizam. Após 2 horas já não haverá mais nicotina na corrente sanguinea. Em 8 horas a oxigenação sanguinea voltará aos valores normais. Em 2 dias olfato e paladar estarão restabelecidos. Em cinco anos o risco de um infarto do miocárdio sera igual ao de quem nunca fumou!
As recaídas de quem tenta parar de fumar ocorrem principalmente nos primeiros três meses. Não se deixe abater. A maioria das pessoas têm várias recaídas, antes de conseguir se livrar deste vício.

Procure seu medico!

Tabagismo tem cura!


Nenhum comentário:

Postar um comentário